Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

O movimento migratorio atual

1
Vilorblue · Colombo, PR
14/12/2008 · 131 · 39
 

Há algum tempo atrás, fui a uma exposição de fotografias no MON, do foto/jornalista Sebastião Salgado, fiquei pensando sobre o processo migratório e suas causas, desde 1993 Salgado vem fotografando o movimento migratório de seres humanos em todo planeta. Interei-me (surpreso), que quase cento e cinqüenta milhões de pessoas sofrem deste processo migratório atualmente e vivem fora de seus locais de origem, numero altíssimo se levarmos em consideração o aumento da população mundial atual que paira em torno de cem milhões de seres humanos anualmente. O aumento é ainda mais assustador, cerca de dez milhões de pessoas engrossam este cordão todos os anos, mantendo estas proporções, daqui a dez anos esta enorme fila migratória terá duzentos e cinqüenta milhões de pessoas, em 1985 eram trinta milhões. Partindo desta analise, Salgado andou por 45 países, durante 7 anos, 45 países é quase um quarto do numero total de nações, se levarmos em consideração os 202 países existente, (dados de 2002, de acordo com a Wikipédia), o que da ao seu trabalho uma importância impar.
Os primeiros povos a migrarem para as Américas (por volta de 48 a 60 mil anos) emigraram da Ásia, provavelmente atravessando o estreito de Bering, alguns teóricos pensam também, que povos oriundos da Polinésia, Malásia e Austrália atingiram a America do sul navegando através do Oceano Pacífico, esta seria outra corrente.
Próximo ao ano de 1500 habitavam o Brasil entre 5 a 6 milhões de nativos, (destes , sobreviveram em péssimas condições de vida e com suas culturas em frangalhos, aproximadamente 200 mil pessoas), poderíamos discorrer ainda mais sobre muitas situações historicamente conhecidas, mais isto não vem bem ao caso, o que eu gostaria de evidenciar seriam as “causas de repulsão e de atração” que evidenciam alguns destes movimentos migratórios em alguma regiões.
Partindo das três causas que a meu ver são as mais importantes, “perseguições político/regionais, econômicas e de natureza climática”, sigo minha linha de pensamento e procurarei me concentrar na atualidade, sendo que posso retornar a historia para ilustrar ou reforçar algum raciocínio.
Segundo o ACNUR (Auto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), a maioria dos refugiados internacionais migra em busca de empregos, ou melhores empregos e melhores salários, após isso vem ás causas de guerras, perseguições étnicas e religiosas, - não nesta ordem obrigatoriamente -, este movimento objetiva principalmente ao EUA e a Europa ocidental e se originam a partir da África, America do Sul e regiões sul e sudeste da Ásia, como podemos constatar, das nações mais pobres do planeta.
Se as causas principais de repulsão da migração atualmente são as acima citadas, poderemos pensar um pouco mais sobre as causas de atração.
Esta analogia é bem simples, mais a partir dela entraremos em uma noção maior. Tenho um trabalho atualmente, ganho muito pouco, na cidade vizinha tem varias empresas com muitos empregos e remuneração maior, a cidade tem uma qualidade de vida melhor. O que eu faço? Fico? Migro? Ai esta a duvida.
Para sobreviver mais confortavelmente, o sistema capitalista teorizou e generalizou. Nas regiões em que ele retira matérias primas para manter seu parque industrial manufatureiro, os salários são vergonhosos, em regiões onde estão implantados os parques industriais os salários são menos vergonhosos e onde estão alojados os executivos, as gerencias, diretorias, etc., os salários são bem melhores. O leitor quer um exemplo? A Adidas abriu uma fabrica na Ásia, mão de obra barata e matéria prima quase de graça, os executivos continuam no EUA com seus salários fabulosos, é assim com todas as transnacionais, carros, cigarros, alimentos, eletrônicos, informática, roupa, etc, etc...Um exemplo mais fácil de confirmar por estar mais próximo, a Cba, (companhia brasileira de alumínio) do grupo Votorantim, comprou a troco de bananas uma vasta extensão de terras na região do Vale do Ribeira (a região com o menor IDH do estado de São Paulo), na divisa entre Paraná e São Paulo, Brasil.
Porque comprou a preço de banana? Primeiro a região sofreu todo um processo de empobrecimento regional ao longo dos últimos anos, fatos divulgados na mídia, falta de investimentos sociais, inexistência de investimentos em infra- estrutura para escoamento da produção agrícola, criação de empregos, etc. A região em evidencia ficou abandonada por um longo tempo, noticiou-se que a Cba iria construir uma represa (Usina do Alto Tijuco) no rio Ribeira do Iguape, esta represa iria alagar uma vasta área e “ai daquele que teimasse em viver nas regiões abaixo”, na cidade vizinha, Apiaí em São Paulo, tem uma grande mineradora de Cimento, (matéria prima), em outro município limítrofe Adrianópolis no Paraná, tem uma mina (meio desativada..?) de chumbo, prata e ouro (matéria prima), dizem os moradores da região, mais esclarecidos e antigos, que as serras que serpenteiam a região são ricas em ferro, alumínio, prata, urânio e outros. Estas terras atualmente pertencem a Cba, a maioria foi comprada a um preço muito baixo, como a região há muito tempo esta sem investimentos nas áreas sociais, a população em geral, (os pequenos proprietários de terra, etc), venderam ou abandonaram as terras, indo engrossar as periferias das grandes cidades em busca de trabalho. Este exemplo, simplório, por estar mais próximo, faz com que entendamos melhor a situação global.
Nos últimos anos no Brasil, vemos constantemente migrantes morando clandestinamente nas grandes cidades. Quem são estes migrantes? Geralmente oriundos da África, Ásia e America do Sul e geralmente se movimentam por causas econômicas. Quanto ao movimento nacional, sempre tivemos uma grande movimentação da região nordeste e norte do Brasil rumo a região Sudeste/Sul, como a situação de empregos em São Paulo e Rio de Janeiro esta saturada atualmente, se detecta movimentos do Nordeste em direção a alguns estados do Norte (Tocantins, Pará, etc) originados do Piauí, Maranhão, e outros. E na região Sudeste nota-se também o contrario de anos anteriores, habitantes de origens nordestinas estão migrando ou retornando para sua região de origem.
Retornando aos movimentos internacionais, vamos citar um país de origem, poderia citar a China, qualquer região da África, Coréia, qualquer um, especificando citarei apenas a Bolívia. Temos visto constantemente na mídia principalmente em São Paulo, historias de bolivianos que migram e se vem envolvidos em algum problema, geralmente são vitimas de aproveitadores, que lhes tiram o pouco dinheiro que ganham, prometem rios e fundos e não cumprem o que prometem, estes irmãos trabalhadores, que arriscam tudo para conseguir um lugar ao sol, vivem escondidos, trabalham até 20 horas por dia para ter algum lucro, numa clássica relação corroída entre capital e trabalho, isto é, semi escravidão. Este é apenas um exemplo brasileiro, (isto é, falando apenas dos movimentos dentro do território brasileiro. No geral este tipo de problema é igual –só ampliando ou diminuindo suas proporções/micro ou macro- em todas as regiões do planeta onde existe a recepção de migrantes, veja o caso do Japão e seus migrantes brasileiros, “os decasséguis”, eles são vigiados quando entram em supermercados, lojas, etc.), talvez por ignorância e um perfeito desconhecimento da situação destes trabalhadores, olham estes migrantes como se fossem os grandes (ou parte) responsáveis pela péssima situação ou problemas em que vivem, ou por todos os problemas gerados na região onde moram e por serem geralmente pobres, são vistos abaixo da linha do preconceito, desprezados e se não bastasse a falta de benefícios e os baixos salários a que são submetidos em seus trabalhos semi escravos.
COMO O TRABALHADOR DE UMA NAÇÃO POBRE, VÊ UMA NAÇÃO RICA E IMPERIALISTA...
Esta visão serve para quaisquer países em qualquer continente, para facilitar o entendimento exemplificaremos o Brasil como receptor do movimento.
Como um paraguaio, peruano, boliviano, etc, vê o Brasil lá fora? Geralmente sendo este trabalhador um pouco mais consciente, pensa de primeira, é um pais rico e imperialista. Espera lá. Imperialista? Com certeza, desde há muito tempo. Lembram do tratado de Tordesilhas? E da guerra do Paraguai? E a situação do Acre? E do estado de Santa Catarina? A mudança destas divisas e ganho de território foram simples manobras imperialistas, tenho em consciência que toda nação receptora de movimentos migratórios são diretamente responsável pelas regiões pobres do planeta.
Se existe regiões empobrecidas, os mais ricos exploram suas matérias primas como um aspirador de pó absorve a poeira de um tapete. Só os países mais ricos têm parques industriais para transformar esta matéria prima em objetos comerciáveis, apenas eles possuem também saída para estes produtos através das câmaras mundiais, sendo assim impõe a estas matérias prima o preço que querem, relegando aos mais pobres apenas o trabalho e o (in) conformismo.
O Brasil é visto pelo proletário da America Latina, África, sul e sudeste da Ásia, como um país rico e imperialista (não me refiro a população extremamente pobre e as suas tristes realidades), a historia e os dados estão aí para atestar este imperialismo e os índices confirmam que o pais (não a população) não é pobre (PIB, reservas internas e internacionais, arrecadação de impostos, etc.), miserável somos nós, sua massa explorada, esta miséria geralmente não é mostrado no exterior, infelizmente a propaganda internacional mostra apenas mulheres de biquíni, corpos torrados ao sol, como se o Brasil fosse apenas uma grande nação de fornicadores e lascivos.
Como entrar no Brasil é mais fácil do que entrar em países da Europa ocidental e EUA, o Brasil seria uma das opções para se trabalhar e ganhar dinheiro, por três motivos maiores, em parte por se falar o português, o brasileiro aceita razoavelmente o migrante, temos muitas empresas (micro, pequenas, e medias) que admitem estrangeiros sem constrangimentos, incluindo neste aceite os clandestinos, estas facilidades agem como um farol sobre os mais pobres de outros países, norteando e obcecando.
Na idade media o tema dos bárbaros colonizadores, era “não existe pecado ao sul do equador”, isso prevalece como se fosse um arquétipo maldito (este lema foi um dos grandes responsável pelo extermínio da nação indígena brasileira).
Voltando um pouco, se exige pouco das empresas que exploram matéria prima nas áreas das, relações do trabalho, ecologia e sociais, as matérias primas geralmente são vendidas na sua forma pura para outros países (a não ser em países do primeiro mundo onde geralmente são beneficiadas e manufaturadas no local de extração, ver o vale do silício na Califórnia-EUA), deveriam ser beneficiadas em seus locais de extração, se assim ocorresse, seriam gerados um grande numero de empregos nos países do terceiro mundo, contribuindo para o aumento do IDH nestas regiões e segurando os trabalhadores em suas regiões de origem, reduzindo em muito o movimento migratório.
ALGUMAS CONSEQUENCIAS SOBRE O TRABALHO DE MIGRANTES ILEGAIS..
Local: Japão, qualquer estado ou cidade, alguns decasséguis moram num prédio de apartamentos simples, dividem um quarto/cozinha, trabalham para um empreiteiro que não conhecem bem o nome, não tem carteira assinada, não tem benefícios, não tem convenio medico, não tem décimo terceiro, apenas saem de férias quando ocasionam férias coletivas na empresa, 15 ou 20 minutos de almoço, não podem financiar imóvel, carro, ou quaisquer bens duráveis, compram somente a vista, não podem se envolver em acidentes de transito. Como vemos, não difere muito de trabalhadores estrangeiros que moram e trabalham no Brasil, ilustrei este constatado, apenas para mostrar que as contradições entre o capital e o trabalho são comuns em qualquer lugar do planeta, apenas minimizado em algumas regiões, este exemplo poderia acontecer nos EUA, Alemanha, França, ou qualquer outro país, o capital abre e fecha filiais em qualquer parte do mundo, não se importa com o ser humano, ele migra ao bell prazer. Para abrir uma fabrica no Brasil e oferecer 750 empregos diretos, uma indústria automobilística francesa fechou uma fabrica na Bélgica onde mantinha 7500 postos de trabalho diretos (Para onde foram estes trabalhadores demitidos?), isso é apenas um exemplo entre milhares. O sistema só não consegue mudar os locais de exploração das matérias primas.
CONCLUSÃO
Gostaria ao concluir, explanar algumas idéias para tentarmos, senão sanar definitivamente (não acredito que nos parâmetros do sistema capitalista estes conflitos sejam solucionados definitivamente), ao menos amenizar o gravíssimo problema do movimento migratório, não é concebível, seres humanos trabalhando em condições subumanas em regimes escravagistas ou semi-escravagistas apenas porque vêem de uma região mais pobre, por pertencer a outras minorias, etc., na situação de foragidos ou banidos políticos, ou então por causa de cataclismos naturais, ou simplesmente por pertencer às áreas mais pobres do planeta, todos devemos ser respeitados dignamente. Se o sistema vigente não tem capacidade para solucionar esta e outras situações degradantes referente ao ser humano, que reconheça. Só assim a humanidade poderá debater e encontrar seu caminho. Para abrir a discussão, seleciono alguns tópicos para serem colocados em prática a curto e médio prazo, estes tópicos, apesar de gerarem um grande trabalho para sua concretização, são viáveis.

• Beneficiamento das matérias no local de origem de extração, ex. minério do ferro, alumínio, cobre, cal, cimento, madeira, grãos, subprodutos do petróleo, etc.
• Após serem beneficiadas estas matérias (não havendo condições de serem manufaturadas no local), as empresas compradoras por excelência devem exigir das vendedoras as, ISOs 9000, 14000 e 18000, que regem sobre o controle das qualidades ambientais e das relações do trabalho.
• Um fundo internacional (teoricamente já existe) uma espécie de tributo cobrado de empresas transnacionais e destinados a educação e saúde em países do terceiro mundo, principalmente as regiões mais pobres do planeta, para que não houvesse desvios este fundo seria aplicado pela FAO e UNESCO, seria fiscalizado por ONGs, associações locais, organismos internacionais de auditoria, toda a comunidade envolvida, sindicatos, etc., quanto mais fiscalização mais eficiente sua distribuição.
• Uma reformulação dos salários nas regiões onde originam os disparos emigratórios, para que estas regiões se tornem atrativas para todos. As nações devem envolver-se neste processo, através de fóruns constantes e soluções diretas e praticas.
• O debate constante em fóruns, seminários, nas escolas, nas igrejas, dentro de secretarias e ministérios de governos, para solucionarmos definitivamente o problema dos preconceitos raciais, sociais, étnicos, sexo, etc. ...

Com alguns destes tópicos alinhados, gostaria agora de prendê-lo um pouco mais nesta leitura e falar sobre alguns relatórios atuais de organismos com aos quais não tenho duvidas sobre exatidão e seriedade:
Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o aumento dos preços dos alimentos no mundo fez o numero de famintos aumentar em 40 milhões em 2008. a FAO divulgou na data de 09/12/2008 que a fome já atinge 963 milhões de pessoas. A FAO disse ainda que a crise mundial levara ainda mais pessoas a esta condição. Segundo a FAO, os problemas estruturais da fome, como falta de acesso à terra, ao credito, e ao emprego, combinados com o aumento dos preços dos alimentos permanecem como uma dura realidade para milhões de pessoas . A FAO relatou ainda que grande maioria destes famintos -907 milhões- vive nos países pobres. Destes, 590 milhões moram em sete países, são estes; Índia, China, Congo, Bangladesh, Indonésia, Paquistão e Etiópia, este mesmo relatório informa que na África Subsaariana, um terço da população -236 milhões- vive em estado de fome crônica. Sendo a maior proporção dentre os continentes. O Congo foi disparado o país Africano onde a fome mais se alastrou. A população de famintos passou de, 26 por cento em 2003/05 para 76 por cento em 2008. Na America Latina e Caribe, a fome atinge 51 milhões de pessoas atualmente.
Outro relatório desta vez emitido pela Comissão Econômica para a America Latina e o Caribe, (Cepal), informa que a crise do “sistema capitalista” (eles não usam sistema capitalista, usam crise financeira global), provocara um aumento no numero de pobres e indigentes na America Latina no ano de 2009, acirrando ainda mais os problemas que atravessamos.

Minha opinião para abertura de uma discussão sobre o tema “MOVIMENTO MIGRATORIO”.
Como em todas as crises da historia, quem sofre realmente são as massas oprimidas, pagando um alto preço pela dissolução dos problemas do sistema de exploração, nada mais sensato que, as massas tomem as rédeas para a condução de uma sociedade onde realmente a fraternidade e a solidariedade sejam focados como ponto central de todas as políticas. Não vejo outra solução.


Obras que eu gostaria que todas as pessoas sorvessem, para que entendêssemos um pouco mais os movimentos migratórios:
“Morte e vida Severina”, baseado na obra de João Cabral, musicas de Chico Buarque, dirigido pelo Guel Arraes.
“Toda Obra de Sebastião Salgado sobre o movimento migratório– foto/jornalista-.
“Vidas Secas”, Glauber Rocha.
“O Capital”, principalmente o capitulo onde ele disseca a mais valia - Karl Marx.

Sobre a obra

O movimento migratório vem aumentando ano a ano, prova que algumas regiões do planeta estão empobrecendo sistematicamente, elaborei este texto para que juntos encontremos uma solução para um dos mais graves problemas do terceiro milênio.

compartilhe



informações

Autoria
vilorblue
orlando rocha
Downloads
951 downloads

comentários feed

+ comentar
José Silveira
 

Vitos, tenho de parabenizá-lo por esta excelente pesquisa, inda mais com a convicção de descorre o texto, é inconteste a veracidade das informações. Diante dessas informações que eu desconhecia, assim com tanto detalhamento; eu embasbacado, portanto tenho que concordar com este epílogo.

"Minha opinião para abertura de uma discussão sobre o tema “MOVIMENTO MIGRATORIO”.
Como em todas as crises da historia, quem sofre realmente são as massas oprimidas, pagando um alto preço pela dissolução dos problemas do sistema de exploração, nada mais sensato que, as massas tomem as rédeas para a condução de uma sociedade onde realmente a fraternidade e a solidariedade sejam focados como ponto central de todas as políticas. Não vejo outra solução"

meu abraço fraterno de Boas Festas.
Silveira

José Silveira · Niterói, RJ 11/12/2008 16:54
sua opinião: subir
Sergio Berrini
 

Excelente texto! Meus parabéns pela aula ofertada!

Sergio Berrini · Rio de Janeiro, RJ 11/12/2008 18:15
sua opinião: subir
JACINTA MORAIS
 

VILOR,
Riquíssimo texto!
O movimento migratório,
é algo alarmante...
Joga-se tudo,
Aposta-se alto
Para "um lugar ao sol"
Mas nem sempre,os resultados
São agradáveis!
A força do maior,
Sobre o menor
Sempre impera.
Constatei fatos
Que dilaceram
Até as almas
Mais frias;
Refugiados da BOSNIA,
Que procuravam em PORTUGAL
Uma gota,menos salgada,de vida...
E eram tratados com marginais,
Em empregos de"semi escravidão"
Imagens "dantescas" de navios
Com cargas humanas,vindos dos Paises
Da África,e que inúmeras vezes pemaneciam
Vagando,sem um "PORTO"
Para ANCORAR...
Famintos de PÃO e DIGNIDADE!
Momento oportuno,para seu apanhado
Que deslumbra,machuca,e extrai
Profundas divagações...
Só uma alma tão nobre,
Para nos presentear
Com as verdades tão sérias,
Dados cruéis,que quase sempre
No nosso infinito egoismo,
Escolhemos não ver...
Não ler,não compreender!
Merecedor de todos os aplausos,
Grande filho do Paraná!
Solo fértil,em plantações
De "todas" as sementes!
PARABÉNS VERDADEIROS!!!
ABRAÇOS.

JACINTA MORAIS · Cascavel, PR 11/12/2008 18:23
sua opinião: subir
ayruman
 

"... nada mais sensato que, as massas tomem as rédeas para a condução de uma sociedade onde realmente a fraternidade e a solidariedade sejam focados como ponto central de todas as políticas. Não vejo outra solução".

Grande iniciativa. Jbconrado

ayruman · Cuiabá, MT 11/12/2008 20:32
sua opinião: subir
Ivette G.M.
 

Creio que um dos maiores problemas que a migração e a imigração cria, é o desenraizamento do ser humano do lugar em que nasceu. Desestrutura sua cultura, vê-se obrigado a incorporar a cultura de outro país ou de outras regiões. Muitas vezes ele sai de sua terra em busca de um sonho dourado e acaba dentro de favelas e pocilgas. A pobreza das pequenas cidades é diferente da pobreza das grandes cidades. Esta última se torna miséria e não pobreza. É o migrante ingênuo que vai cair nas mãos da malandragem da cidade grande. O que verificamos nos grandes centros é que este, acaba não tendo recursos suficientes para acolher o migrante, como educação, saúde, habitação, trabalho e, infelizmente, penitenciárias também.
É um bom texto para reflexão e tomada de posição.
Ivette G M

Ivette G.M. · Cotia, SP 11/12/2008 21:13
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

Essa é a NOSSA história...e...Grandes Sabastião Salgado, Glauber, João Cabral ( meu favorito) !
Texto exemplar, meu caro !...Parabens !
volto
abs

joe_brazuca · São Paulo, SP 12/12/2008 11:38
sua opinião: subir
Raiblue
 

Excelente texto,VilorManoBlue, para reflexão sobre um grave problema que enfrentamos.As promessas das grandes cidades e a desilusão,depois,dos imigrantes explorados e sem alcançar o que realmente necessitavam, o mínimo, o básico para uma vida digna,como alimentação,moradia,saúde,educação, porque com o ritmo acelerado da imigração, surge um dos nossos maiores problemas atualmente : a superpopulação , e as cidades não conseguem gerar condições
para sustentá-la...realmente esse é um grande desafio: repensar essas questões e encontrar saídas, não é nada fácil,diante do tamanho caos.Mas temos que persistir nessa grande batalha!!
Parabéns,grande reflexão!!

bluebeijinhos
Blue

Raiblue · Salvador, BA 12/12/2008 18:55
sua opinião: subir
cibele salma
 

Incrível reflexão de uma crua realidade!
Com certeza deveria te mais alcance.
Votarei.
Carinhoso abraço.

cibele salma · Brasília, DF 12/12/2008 21:30
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

joe_brazuca · São Paulo, SP 13/12/2008 11:46
sua opinião: subir
Raiblue
 

Beijos azuis
Blue

Raiblue · Salvador, BA 13/12/2008 15:08
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Prezado Poeta Silveira, é sempre uma gratidão ao ter sua visita nestas paginas. Tem muita coisa que desconhecemos realmente.
O mínimo que podemos fazer é olhar estes irmãos de outros locais com solidariedade, tentando ajudar e também forçar-mos os políticos profissionais para que leis sejam aprovadas para que os imigrantes fiquem amparados, doutra forma seremos iguais a muitos países do primeiro mundo (EUA, países da Europa, Japão e outros) onde se persegue, (matam, prendem) os imigrantes mais estes países os mantem e deixam eles entrarem ilegalmente porque precisam deles como força de lavoro barata.
Abraço e grato pela visita e comentário.


Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:15
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato pela visita Sergio Berrini, um grande abraço.

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:17
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Prezada Poetisa Jacinta, grato pela sua visita e comentário, com sua permissão vou copiar uma parte do seu comentário, ele me fez lembrar de trechos de Navio Negreiro de Castro Alves.
Refugiados da BOSNIA,
Que procuravam em PORTUGAL
Uma gota,menos salgada,de vida...
E eram tratados com marginais,
Em empregos de"semi escravidão"
Imagens "dantescas" de navios
Com cargas humanas,vindos dos Paises
Da África,e que inúmeras vezes pemaneciam
Vagando,sem um "PORTO"
Para ANCORAR...
Famintos de PÃO e DIGNIDADE!
Belo tudo isso.
Com teu comentário lembrei de uma geada que ocorreu no norte do estado do Paraná em 1975, esta geada destruiu tragicamente as lavouras de café, nos sabemos que o café ocupa grande parte da mão de obra no campo, não tem como colher café com maquina, com esta geada ocorrida em 1975 2.800.000 de trabalhadores rurais imigraram para as grandes cidades, ocasionando um grande inchaço nas favelas dos grandes centros incluindo Curitiba, nesta época começou a invasão da de uma area próxima ao Jardim Botânico, dando inicio a maior favela de Curitiba, a favela da Ferrovila, que nos dias atuais é em dos maiores problemas de urbanização que a cidade enfrenta.
Isso porque faltou política no campo, faltou opções para esta massa de trabalhadores, etc...
Grato pela visita e comentário que como acontece sempre, enriqueceu o debate.
Fica bem Poetisa.
Grato.

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:36
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Ayruman, grato por tua visita, é uma triste realidade esta do explorado.
Um grande abraço..

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:42
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Prezada Ivette, grato pela visita.
A pobreza das pequenas cidades é diferente da pobreza das grandes cidades. Esta última se torna miséria e não pobreza".
É um constatado. No campo ainda se planta, quando tem terra e agua, se consegue comer.
Um grande abraço e grato pela visita.

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:47
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Brasuca, é uma historia triste onde sempre o mesmo ganha.
Abraço e grato.

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:48
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Querida Raiblue, comentário direto e certeiro, afinal, quem paga as contas somos sempre nos. Temos que dividir nossa pobreza no final.
Abraço e fica bem.


Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:50
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Prezada Poetisa Cibele, quem dera tivéssemos o alcance necessitado para as nossas preocupações, mesmo assim vamos navegando contra a correnteza.
Grato pela visita e comentário.
Fica bem..

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:53
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato a todos pela visita e votos...

Vilorblue · Colombo, PR 13/12/2008 17:53
sua opinião: subir
claudia gomes
 

Muito bom o seu texto. Adoro os temas que vc trata e maneira como os expõe!

claudia gomes · Salvador, BA 13/12/2008 21:15
sua opinião: subir
Fatima Merigue de Mendonça
 

Parabéns Vitor,muito bom o seu texto.

Fatima Merigue de Mendonça · Itu, SP 13/12/2008 23:00
sua opinião: subir
JACINTA MORAIS
 

AMIGO VILOR,
VOTADÍSSIMO!!!
Que maravilha,
Deixou sua marca forte
No coração de cada um,
Dos seus inúmeros e atentos
Leitores...
Fantástico!
Abraços,
Bom final de semana.

JACINTA MORAIS · Cascavel, PR 14/12/2008 00:22
sua opinião: subir
Sergio Berrini
 

Texto primoroso!
Voto!

Sergio Berrini · Rio de Janeiro, RJ 14/12/2008 08:18
sua opinião: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

texto impecável, parabéns.votado.

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 14/12/2008 13:32
sua opinião: subir
Airtton
 

Baixei, vai ser útil. Parabéns

Airtton · Pouso Alegre, MG 15/12/2008 12:55
sua opinião: subir
Airtton
 

P.s. Viví por cinco anos o drama de emigrar, e perder as referências. Mais uma vêz pararabéns

Airtton · Pouso Alegre, MG 15/12/2008 13:01
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Prezada Claudia Gomes, muito grato pela visita, a forma dos temas tratados é motivada pelo sofrimento, ao ver este trágico panorama atual.
Um grande abraço.

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 13:50
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato pela visita Fatima Mendonça, sei que é um presente simplório, mais dedico este postados a todos vocês, amigos do Overmundo

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 13:54
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato pelo seu voto Poetisa Jacinta, Graça aos amigos do Over ele passou e esta publicado para denuncia.
Grande abraço.

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 14:17
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Obrigado pelo voto Sergio Berrini.
Abç.

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 14:19
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato por ter tido a paciência e ter perdido um pouco do teu tempo para a leitura do texto W Marques.
Abraço amigo.

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 14:21
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Airton me sinto orgulhoso por dois motivos:
Primeiro por tua visita. Segundo por ter sido útil.
Situação problemática do emigrante, não bastando a perda das referencias como o amigo disse, ainda existe as situações que geralmente sofrem, salários miseráveis, inesistencia de benefícios, na maioria dos casos a humilhação por ter vindo de outra região e por ai vai.
Grato e abç...

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 14:29
sua opinião: subir
ayruman
 

Grande iniciativa. Jbconrado

>>> Confirmando Voto.

ayruman · Cuiabá, MT 15/12/2008 20:37
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato pelo apoio e voto Ayruman.
Um abraço.

Vilorblue · Colombo, PR 15/12/2008 20:41
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Vilorblue · Colombo (PR)
O movimento migratorio atual

Um Trabalho de Grande Porte.
deveria de ganhar um prémio pelo valor e pela maneira de enfocar e tornar consciente o leitor.
Um Trabalho que deveria de ser lido nas escolas de primeiro e segundo grau para estudos.
Deeveria ser lido e comentado na rede de televisáo no lugar de novelas.
Uma semente poderosa que esta armazenada no Overmundo.
Um rico trabalho que valoriza o overmundo e nós todos que trabalhamos nele com nossos textos e poesias.
parabéns por esta jóia.
É um diamante e vai sobreviver ao tempo até chegar a sua hora de mostrar o seu valor.
Abracáo Amigo
Por favos se possível me avise dos seus trabalhos.
É Um Trabalho genial.

azuirfilho · Campinas, SP 4/1/2009 11:03
sua opinião: subir
Dú Karmona
 

depois de um longa ausência...
estou de volta!
bj na alma!

Dú Karmona · São Paulo, SP 15/1/2009 20:54
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Grato pela visita e comentário aos amigos Azuir e Dú Karmona.
Grande abraço...

Vilorblue · Colombo, PR 18/1/2009 22:01
sua opinião: subir
valdezz
 

muito bom o teu texto, todos nos sabemos que infelismente nenhum "ISMO" pode ou quer solucionar o problemas mundiais, a democracia plena é a única saida

valdezz · Arraial do Cabo, RJ 6/2/2009 09:30
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Valdezz,
Grato pela visita e comentário poeta.
Abraço.

Vilorblue · Colombo, PR 17/2/2009 17:28
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados