Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

Dominguinhos conta história de vida e descreve trajetória musical em entrevista

23/4 · Fortaleza, CE
1
Luciano Sá · Fortaleza, CE
19/4/2009 · 37 · 2
 

Ele é co-autor de vários sucessos perenes da MPB. A lista é vasta: “Eu só quero um xodó”, “De volta pro aconchego”, “Gostoso demais”, “Isso aqui tá bom demais”, “Pedras que cantam”, “Quem me levará sou eu”, “Abri a porta”, “Tenho sede”, “Lamento sertanejo”, “Quando chega o verão”, “Tantas palavras”... e tantas outras.
Filho musical do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, parceiro e amigo de artistas como Chico Buarque, Gilberto Gil, Gonzaguinha, Nando Cordel, Anastácia, Fagner, Fausto Nilo e Abel Silva, ele é simplesmente Dominguinhos.
O cantor, compositor, instrumentista e sanfoneiro pernambucano concede entrevista aberta ao público, compartilhando sua história de vida e descrevendo sua trajetória artística, dentro do programa Nomes do Nordeste, nesta quarta-feira, 22, às 19 horas, no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – 2º andar – Centro – fone: (85) 3464.3108).
Com entrada franca, a entrevista integra, ainda, a programação da série Choro no Centro, que o CCBNB-Fortaleza realiza para comemorar – durante Abril inteiro – o Dia Nacional do Choro (23, quinta-feira), data em que também transcorre o aniversário de nascimento de Pixinguinha (1897-1973). No decorrer do mês, estão sendo apresentados dez shows gratuitos de chorinho com grupos cearenses jovens e veteranos.

História de vida e trajetória artística
José Domingos de Moraes, o Dominguinhos, nasceu na cidade serrana de Garanhuns, no estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil, em 12 de fevereiro de 1941. Seu pai, mestre Chicão, foi um famoso tocador e afinador de foles de oito baixos. Hoje com 68 anos, Dominguinhos começou a tocar sanfona aos seis anos de idade, juntamente com mais dois irmãos, em feiras livres e portas de hotéis do interior daquele estado.
Com oito anos de idade, conheceu Luiz Gonzaga na porta de um hotel em que este se apresentava com o trio “Os Três Pinguins”, formado por ele e mais dois irmãos. Luiz Gonzaga acabou se tornando o seu padrinho artístico. Em 1954, mudou-se para o Rio de Janeiro, indo morar com o pai e com o irmão mais velho no município de Nilópolis, na Baixada Fluminense. Nesta ocasião, recebeu do padrinho Luiz Gonzaga uma sanfona de presente.
Seu nome artístico foi sugestão do próprio Luiz Gonzaga, que considerou que o seu apelido de infância, Neném, não o ajudaria na trajetória artística. Com a sanfona ganha do próprio Gonzagão, passou a percorrer o interior do Rio de Janeiro na companhia dos irmãos, apresentando-se em circos e arrasta-pés.
Em 1957, aos 16 anos, fez sua primeira gravação, tocando sanfona num disco de Luiz Gonzaga, na música “Moça da feira”, de Armando Nunes e J. Portela. No mesmo ano, em viagem ao Espírito Santo, com Borborema e Miudinho, formou um trio, batizado de Trio Nordestino. Tomou contato com outros ritmos musicais e aprendeu a tocar samba e bolero.
Voltou ao Rio de Janeiro e formou um conjunto que passou a atuar em dancings, boates e inferninhos nas zonas da malandragem. Tocou na gafieira Cedo Feita, Churrascaria Gaúcha, boate Babalaica e Dancing Brasil. Em 1965, foi convidado por Pedro Sertanejo, então diretor da recém-inaugurada gravadora Cantagalo, para gravar um LP destinado ao público migrante nordestino e, com isso, voltou a tocar forrós e baiões.
Em 1967, fez parte de uma excursão de Luiz Gonzaga ao Nordeste, como sanfoneiro e motorista. Também fazia parte do grupo a cantora pernambucana Anastácia. Os dois iniciaram então uma carreira artística conjunta e um relacionamento amoroso, que os levou ao casamento.
Observado pelo empresário Guilherme Araújo tocando num show de Luiz Gonzaga, em 1972, foi convidado por ele a trabalhar com Gal Costa e Gilberto Gil. Viajou para a França com Gal, acompanhando a cantora baiana em apresentação no Midem, em Cannes.

onde fica
Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – 2º andar – Centro – fone: (85) 3464.3108).
quando ir
23/4/2009, às 19:00h
quanto custa
Grátis.
website
www.bnb.gov.br/cultura
contato
Luciano Sá (assessor de imprensa do Centro Cultural Banco do Nordeste) – (85) 3464.3196 / 8736.9232 – lucianoms@bnb.gov.br

compartilhe

comentários feed

+ comentar
graça grauna
 

muito bom

graça grauna · Recife, PE 19/4/2009 09:26
sua opinião: subir
Andre Luiz Mazzaropi
 

Luciano
Conheci Dominguinhos a muitos anos; 1.978, foi no restaurante do sub solo do Hotel Nacional do Rio de Janeiro; num domingo, almoçava com meu pai o Mazzaropi, ouvimos sua musica, sua sanfona, sabiamos que ali não estava simplesmente mais um nordetino tocando sanfona, o nome lhe fez justiça.
Dominguinhos sucesso do Brasil!
mande a ele um grande abraço.
Parabens, saude e sucesso!

Andre Luiz Mazzaropi
O Filho do jeca

www.andreluizmazzaropi.com.br

Andre Luiz Mazzaropi · Taubaté, SP 20/4/2009 16:37
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados